<$BlogRSDUrl$>

21.11.03

Poema minimais em dia de chuva - mais Leite de Faria 

Deste meu tio Abel, vou descobrindo na biblioteca, a marcar livros, em caixas de papéis, poesia, poesia, poesia. Os textos de maior volume ficam para outras edições, quando tiver tempo para organizar e compilar tudo, quando acabar de passar os registos para formato impresso. O meu principal problema são as variantes, tenho sonetos com seis e sete variantes e não sei qual a cronologia.
Penso que um blogue é um local extraordinário para a poesia. Sobretudo a minimal, que se lê entre duas bicas. A que não oferece dúvidas críticas sobre variantes; a que se encontra na margem de livros, sem emendas...

454

Chove no campo.
Ouço o vago canto
Do Som da mágoa.

454

Chove na tarde.
No campo da mágoa:
O som de água.

454

Chove na morte,
Aquática calma
Na alma que tarda.

355

Chove na alma,
Murmúrios de calma
Na tarde que morre.

CM

Arquivos

This page is powered by Blogger. Isn't yours?