<$BlogRSDUrl$>

16.8.03

Um poema de Leite de Faria (perto da morte?) 


Sem título

Penso hoje no que não escrevi,
Nos livros que nunca vou ler,
Nos filhos que não tive,
Entretido em circunferências,
Descobertas incríveis...
Vivia e sonhava, julgava eu.
Penso hoje no mundo que não vivi,
Poemas pensados sem escrever,
Escravo de ser livre,
Perdido em referências
De tempos imperecíveis.
Hoje nem um beijo teu...
Sou um velho cujo amor morreu.

Leite de Faria


Mais um poema em papel a servir de marcador no meio de um livro de Cardoso Pires: O Anjo Ancorado, primeira edição. O livro está assinado pelo autor com dedicatória a Leite de Faria. O poema é deste último, pelo estilo e letra. Não devia passar de um esboço, mas não deixo passar o documento sem esta nota. Não sei também se seria, ou não, dividido em estrofes, opto por apresentar o breve poema em bruto.
CM

Arquivos

This page is powered by Blogger. Isn't yours?