<$BlogRSDUrl$>

3.7.03

O grande Fantini (1600-1675) 

Monarca della Tromba hoggi egli è'n terra!
Ou Ahi, che la fama di tal dono ornollo, [...] faccia del gran Fantini eterni vanti
.

Excertos de versos dedicados a Girolamo Fantini.
Já Mersenne o grande teórico de música do século XVII, em 1636 escreve: Hieronymo Fantino tubicine totius Italiae excellentissimo.

Nascido em Spoleto, sabe-se que foi baptizado em 11 de Fevereiro de 1600. Sabe-se que trabalhou em Florença como trompetista para o grande duque da Toscânia Ferdinando II. Nesta corte encontra-se um relato da entrega de um trompete em prata, com acessórios, para o seu serviço. Data de Abril de 1634 um famoso concerto que Fantini deu com Girolamo Frescobaldi em Roma, em que este último tocou no orgão da capela do cardeal Borghese! Diz Pierre Bordelot (que assitiu) numa carta a Mersenne que o "concerto foi supremo, Fantini tocou toda a gama de notas do seu trompete a fusão das notas do trompete com o orgão, tocado com elegância por Frescobaldi, foi notável!". Esta foi a primeira menção histórica registada até aos nossos dias de um concerto em que o trompete foi solista. Na obra de Fantini, uma edição impressa do tempo do próprio compositor e que se conhece hoje, encontram-se 15 toccate di basso, 8 sinais militares, sonata para baixo e soprano (trompetes), 2 Imperialli, 6 calli di capriccio, 12 ricarcatas, 22 balletti, 7 brandi, 1 aria, 5 capricci, 22 courantes, 25 sonatas (7 para dois trompetes) e 3 galhardas (2 para 2 trompetes). Era uma obra dedicada ao ensino do instrumento e aos toques de guerra, que eram uma das principais funções dos trombeteiros.
Os instrumentos eram naturais, sem pistões ou rotações, todo o trabalho era feito com a boca, como se mantém nos clarins militares. O compositor usa os mais variados compassos, mas os tempos são indicados raramente, um allegro aqui ("si deve fare allegra"), um presto ali ("si deve fare presto") e pouco mais. Como os construtores eram muito rudimentares em Itália, a maioria dos instrumentos vinham da Alemanha.
Isto a propósito de um disco notável dos Trombe Antiche sob direcção de Igino Conforzi. Dezasseis músicos, em trompetes da renascença, trompetes barrocos, Faluta, bombarda, fagote, sacabuxa ou trombone do renascimento, violino, chitarra barroca, Teorba, Cravo, Percussão e Orgão! Um disco de 1993, Quadrivium. Perugia, Italia. Mais um disco em que o sentido histórico se funde com a arte. Uma surpresa, descoberta algures em Italia, e que não sei se se pode encontrar em Lisboa. Com pena.


Fantini

CM

Arquivos

This page is powered by Blogger. Isn't yours?