<$BlogRSDUrl$>

24.6.03

Deposição de Cristo no Túmulo por Caravaggio 

Perto de nós
Sobre a laje aguda que ultrapassa o espaço da representação para invadir o nosso próprio espaço, numa lancinante diagonal arrancada ao negro mais negro do fundo, o amado evangelista, o fiel Nicodemus, a Virgem e santas dolorosas devolvem-nos o Cristo da Paixão. Já redimido numa matéria branca e tímbrica, abandonado a um corpo tenso que só a ponta quebrada do sudário pode suavizar, Cristo desce para nós. Não fora a tensão muscular das pernas quase hercúleas de Nicodemus ou a alma arrebatada nos gestos de Madalena, e poder-se-ia dizer que o exagero formal desta pintura é o que deriva da nossa condição e da nossa culpa.

Na pintura de Caravaggio todos podem ser heróis, mas Cristo e os santos são apenas homens modelados nos efeitos matéricos da luz na sombra, são matéria de uma realidade tão plástica e expressiva, quanto tangível e dolorosa. Com a Deposição no Túmulo, Caravaggio põe Deus perto de nós.

Caravaggio (1573-1610)

Deposição no Túmulo c. 1602-1604
CP

Arquivos

This page is powered by Blogger. Isn't yours?