<$BlogRSDUrl$>

28.5.03

30 de Maio - a) Hoje ando armado em crítico literário, li o "soneto" que escrevi ontem e que me deixou dormir, mas descobri que mais valia ter ficado acordado...

Nota em 30 de Maio - b) emendei um verso, que tinha a métrica errada, ainda não sei se vou polir as sextas sílabas, para estarem todas acentuadas, a acentuação anda toda pela sexta/sétima, além da décima, mas como quase soneto, ou projecto de soneto pode aceitar-se.

Nota em 30 de Maio - c) Nota mais tardia: reparo agastado que rever um soneto para acertar a métrica sem perder a frescura é um processo destrutivo, reconstrutivo, um puzzle muito completo, facto que eu já sabia, mas que custa a recordar. Dentro de uma concisão extrema, o soneto tem de contar uma história, ter princípio, meio e fim, um choque, uma antítese entre a primeira e segunda partes são quase essenciais, neste pré-soneto não consigo encontrar um ponto de viragem, uma ruptura, embora o tenha dividido em três partes: 1ª descrição da figura, 2ª acções da mesma e seus valores éticos, 3ª conclusão em forma de desilusão constatação, crítica etica (último verso).
Cada vez aceito mais que este pseudo-soneto é mau, muito mau. Basta um detalhe métrico e todo o poema está errado e tem de ser escrito tudo de novo. Persistência. No caso de um soneto de paixão é preciso que esta dure.

Texto original do post:

Dedicado aos corruptos, saiu-me um soneto, mauzote, mas um soneto (um ritmo muito sincopado, que não me apetece polir por enquanto)

Título: Prostíbulo

Prostíbulo onde espírito e razão
De vaidade é sede. Fato completo:
Vazio sorrindo, num esgar abjecto,
Corrupto, sisudo, sem coração:

Vende-se na rádio e televisão,*
Seu palavreado, sem nexo, infecto...
Sempre politicamente correcto,
Mas sua lógica é total disrupção.

Vende ideiais, princípios, para somar:
Votos, prebendas, cargos e dinheiro;
Colecciona tudo sem nada amar,

Soma contas bancárias no estrangeiro.
Capaz de vender a alma e o pandeiro:
E o povo continua nele a votar...

*- Ler Té-lé-visão

Arquivos

This page is powered by Blogger. Isn't yours?